quarta-feira, 24 de maio de 2017

AMM COMPLETA 50 ANOS DIA 28 DE MAIO.

MEIO SÉCULO DE CRIAÇÃO DA AMM SERÁ MARCADO POR HOMENAGENS ESPECIAIS
23 de Maio de 2017
MEIO SÉCULO DE CRIAÇÃO DA AMM SERÁ MARCADO POR HOMENAGENS ESPECIAIS
José Otto Theobald, 1º presidente da AMM

Jantar festivo com ex-presidentes, Medalha da 54ª Legislatura da Assembleia Legislativa e livro sobre os 50 anos da entidade, integram as comemorações

28 de maio de 1967. Esta é uma data muito especial no calendário de todos os missioneiros e dos 26 municípios que congregam a Associação dos Municípios das Missões (AMM). Nesse dia, há 50 anos, nas dependências da Campanha Nacional de Escolas da Comunidade (CNEC), em Cerro Largo, em uma cerimônia histórica, mas simples e repleta de emoção, era oficialmente criada a AMM com a missão de formular nas suas grandes linhas, as diretrizes do movimento municipalista regional.

Exatamente assim está escrito na ata de número 1, feita a punho pelo então vereador de Cerro Largo, Laureano Alberto Schoffenn, que continua atuando, aos 92 anos de idade, como secretário Executivo da Associação. A iniciativa foi da Câmara Municipal, na época presidida pelo vereador Renê Schwengber, que conduziu os trabalhos na primeira assembleia geral da Associação. “Quando uma reivindicação é feita em grupo tem mais força perante o Estado e a União, do que os municípios lutarem individualmente por seus pleitos. Esta foi a principal motivação para a criação da AMM”, contou Laureano Alberto Shoffen, um dos idealizadores da Associação dos Municípios das Missões.

Na próxima sexta-feira (26) terão início as atividades alusivas ao cinquentenário da entidade, que está cada vez mais forte e atuante. Rememorando meio século de história, as comemorações começam com jantar festivo a partir das 20 horas, dentro da programação da 14ª Polfest, em Guarani das Missões, com a presença de ex-dirigentes da AMM. Antes, às 14 horas, no Salão Paroquial do município, acontece a assembleia mensal da Associação.

Homenagem do Parlamento Gaúcho
Na quarta-feira (31), às 14 horas, em Porto Alegre, a Associação estará sendo homenageada com a Medalha da 54ª Legislatura da Assembleia Legislativa. A proposição é do presidente da Comissão de Assuntos Municipais da AL, deputado Eduardo Loureiro, e quem receberá a honraria em nome da Associação será o atual presidente, Brasil Antonio Sartori, de Entre-Ijuís, que estará acompanhado do colegiado de prefeitos missioneiros.

Meio século de orgulho
Neste meio século de existência (1967 a 2017) 40 prefeitos se revezaram na direção da Associação. E todos podem se orgulhar do trabalho realizado, pois suas atuações foram determinantes para que a AMM seja hoje reconhecida com uma das mais fortes e mobilizadas Associações de Municípios do Estado do Rio Grande do Sul. O primeiro presidente foi o então prefeito de Cerro Largo, José Otto Theobald (in memorian).

O atual presidente da Associação, Brasil Antonio Sartori, se diz gratificado com a oportunidade de coordenar as festividades cinquentenárias. “Minha cidade, Entre-Ijuis, sempre aderiu aos movimentos e batalhas levantadas pela AMM em defesa da região e do guerreiro povo missioneiro. Por isto, agora, com muita honra me integro, junto com todos os meus colegas prefeitos, vice-prefeitos e vereadores, das homenagens pelo recohecido e valoroso trabalho desta entidade, que tanto nos orgulha”, evidenciou Sartori.

50 Anos de História
Entre outras programações que estarão acontecendo no decorrer deste ano, está o encerramento com chave de ouro: o lançamento do livro AMM – 50 Anos de História, em um grande evento na sede da Associação, no mês de dezembro, em Cerro Largo. A obra vai relatar as negociações políticas dos dirigentes e  prefeitos que, unidos em torno da AMM, definiram estratégias fundamentais para alavancar o desenvolvimento da região, além de histórias pitorescas dos 26 municípios. A proposta do livro é reunir fatos importantes e fazer com os ideais sonhados por todos que já passaram pela Associação, permaneça no coração e na força dos missioneiros.

Objetivos da AMM
Na ata de criação da Associação dos Municípios das Missões, os fundadores fizeram questão de deixar registrado os sete grandes objetivos da entidade que, mesmo após 50 anos de atuação, continuam bastante atuais. São eles:
1-Formular nas suas grandes linhas as diretrizes do movimento municipalista regional, defendendo iniciativas que visem a descentralização administrativa, econômica e social, de modo a dotar os municípios de recursos financeiros;
2-Promover estudos que deverão ser encaminhados aos poderes competentes das altas esferas da administração estadual e federal;
3-Pleitear e adotar medidas úteis aos interesses das prefeituras e câmaras municipais, constituindo-se defensora e cooperadora ativa e vigilante de quanto possa concorrer para o desenvolvimento e progresso da região;
4-Acompanhar a atuação dos deputados estaduais e federais, eleitos pela região, e subsidiá-los nas suas tarefas que dizem respeito à região da Associação;
5-Representar os municípios membros da AMM, nas reivindicações dos problemas sócio-econômicos regionais;
6-Orientar as bancadas pluripartidárias nas câmaras de vereadores, no sentido de conseguir pronta solução para os problemas regionais;
7-Dar assistência jurídica e administrativa aos municípios integrantes da AMM.

Gargalos da AMM
Desde os primórdios da Associação dos Municípios das Missões, muitas demandas só saíram do papel graças à atuação coesa dos prefeitos, e à força política da AMM junto aos governos federal e estadual. Entre as constantes lutas está a melhorias na infraestrutura logística. Dos cinco municípios sem acesso asfáltico, estão em andamento os serviços na entrada de Eugênio de Castro, Rolador e Ubiretama. Garruchos e Pirapó, assim como a recuperação de rodovias da região, seguem entre os maiores gargalos da Associação.

A reativação do Aeroporto regional de Santo Ângelo, cujos vôos serão retomados em julho deste ano, muito se deve a articulação e forte pressão dos dirigentes da AMM e do colegiado de prefeitos. Assim como segue firme a atuação pela viabilização da ponte internacional Porto Xavier/San Javier, que conforme declarado mais de uma vez pelo Ministério dos Transportes e Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), técnica e economicamente, estas duas localidades são as mais viáveis para receber o empreendimento.

Outras relevantes conquistas foram obtidas, em diferentes áreas, como o fortalecimento do turismo missioneiro, com a Ruta Jesuítica Internacional, envolvendo o turismo integrado entre Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Bolívia. “Continuaremos unidos e trabalhando em defesa das pautas que promovam o crescimento dos 26 municípios e da região das Missões, sempre contando com o apoio e a confiança da comunidade missioneira”, afirmou Brasil Antonio Sartori, que preside a Associação dos Municípios das Missões até março de 2018.

Site AMM

PREFEITOS DA AMM ACOMPANHAM MOMENTOS DECISIVOS NA POLITICA BRASILEIRA.

Em Brasília, prefeitos da AMM acompanharam momento decisivo na política brasileira
19 de Maio de 2017
Gestores missioneiros participaram da Marcha 2017, que resultou em expressivos avanços para o municipalismo
A XX Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, organizada pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM), que ocorreu entre os dias 15 a 18 deste mês, foi considerada histórica para o municipalismo. Isso se deve tanto pela intensidade dos assuntos discutidos e conquistas obtidas, quanto pela presença massiva de prefeitos de todo o Brasil, em um momento relevante na vida política do país, a partir da denúncia dos dirigentes da empresa JBS, que envolvem diretamente o presidente Michel Temer e outros políticos. Os gestores municipais missioneiros retornam à suas cidades trazendo informações importantíssimas sobre o que vivenciaram, os impactos nos rumos da política nacional e na vida dos brasileiros.
Representando o dirigente da Associação dos Municípios das Missões (AMM), Brasil Antonio Sartori (PP), o prefeito de Rolador e vice-presidente da entidade, Paulo Peixoto (PMDB), que liderou a comitiva missioneira integrada por prefeitos, vice-prefeitos, secretários municipais e vereadores, fez uma avaliação positiva da Marcha. “O governo federal esteve na abertura da Marcha e assinou o parcelamento em até 200 meses da dívida da previdência. Para os pequenos municípios, que têm fundo próprio, pode não ser tão importante, mas para as grandes cidades foi de grande valia”, evidenciou Peixoto, que lamentou a crise política deflagrada. “infelizmente aconteceu este escândalo com o presidente Michel Temer e outros políticos da República. É melhor para o futuro do país que tudo seja esclarecido rapidamente. Precisamos de políticos sérios e que nosso Brasil ande a passos largos, pois têm recursos para todos”.
CONFIANÇA NO BRASIL
O chefe do Executivo de Rolador disse ainda que está na hora de dar um basta na corrupção que vem se arrastando há vários governos, e, se for para melhorar, que se passe uma borracha, comece de novo e se eleja novos representantes, que não estejam comprometidos neste tipo de escândalo. “Com certeza acreditamos no Brasil e vamos continuar trabalhando para melhorar nosso país, nossos municípios e nossa região missioneira”, afirmou Peixoto.
Também o prefeito de Bossoroca, José Moacir Fabrício Dutra (PP), elogiou os avanços municipalistas obtidos na XX Marcha e comentou sobre o atual cenário político. “Participamos com muita atenção durante os quatro dias do evento. As conquistas que estamos conseguindo agora ficarão para outras administrações, pois não são dos prefeitos e sim dos municípios. O apoio da CNM com relação ao Imposto Sobre Serviço (ISS), o parcelamento da dívida previdenciária, que vai desafogar as administrações municipais neste momento de dificuldade, entre outras expressivas lutas defendidas pela Confederação, têm sido fundamentais”, enfatizou o prefeito de Bossoroca.
ALTO GRAU DE CRIMINALIDADE
Dutra acrescentou que não tem outro termo que melhor defina o caos político que se instalou no país do que denúncia de alto grau de criminalidade. “Isso nos preocupa muito como cidadão brasileiro e como político. Porém, não podemos de forma alguma perder a esperança. Nós, prefeitos, juntamente com os vereadores, temos que ajudar a construir este país". Na sua análise, é essencial a proposta do presidente da CNM, Paulo Ziulkoski, de trazer os vereadores para a concretização de um município mais forte, pois a vitória do municipalismo é a vitória do cidadão. “Mesmo com toda esta crise e envolvimento de autoridades em diversos escalões do poder, ainda assim, precisamos ter esperança neste país. É preciso lembrar: se sairmos fora da Constituição estaremos atropelando a nossa democracia. Por isso temos que fazer com que, de forma democrática, nosso país entre nos eixos. Mas não podemos mais atravessar o Brasil para abraçar gente que está indo pra cadeia”, contestou o prefeito de Bossoroca.
FÓRUM NACIONAL DE DEBATES
Na opinião do prefeito de Roque Gonzales, João Haas (PP), a Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios tem sido um grande fórum de debates entre prefeitos, vereadores e todos os poderes constituídos da Nação, na busca de soluções, especialmente para os pequenos municípios. “É muito positivo que o alto escalão do governo está saindo dos gabinetes e vindo discutir conosco. Estamos esperançosos, principalmente quanto a projetos engavetados há anos, como os Royalties do Petróleo, uma distribuição justa que os municípios aguardam por muitos anos; votação do veto do ISS, em que muito dinheiro fica centralizado em Barueri/SP, pois temos várias instituições bancárias, o cartão de crédito que é muito utilizado, e o ISS disso não retorna para o município porque fica em torno de Barueri, na Grande São Paulo”, explicou Haas.
DIVISOR DE ÁGUAS
Quanto a crise provocada pelas denúncias contra Temer, o prefeito roque-gonzalense define como um divisor de águas na política. “Para a democracia isso é muito importante. Serve para acordarmos e trazermos a sociedade para esta discussão. Precisamos passar a política a limpo e a justiça está fazendo o seu papel. Mas não podemos rasgar a Constituição. Temos que seguir suas normas e continuar trabalhando pelo nosso município, que é onde as coisas realmente acontecem”, explicou ele.
DEMOCRACIA ABALADA
Pela primeira vez participando da Marcha, o prefeito de Salvador das Missões, Daniel Gorski (PT) também fez a sua análise. “Para mim foi motivo de imensa alegria estar presente na 20ª edição deste evento municipalista. Os temas tratados contribuem muito para administramos melhor nossos municípios, além de possibilitar a troca de experiências com colegas de outros estados. Mas o prefeito missioneiro fez uma ressalva: “o presidente Ziulkoski colocou que a CNM estaria apoiando da mudança previdenciária. Neste sentido, os prefeitos gaúchos do nosso partido se reuniram na capital federal e formalizaram documento manifestando que somos contra a reforma da previdência”, relatou Gorski ao contextualizar: “nós, pequenos municípios como Salvador das Missões, não imediatamente, mas com o passar dos anos perdemos muito. Um exemplo é a entrada de recursos das aposentadorias e das pensões, tanto rurais como urbanas, que quase se equivalem a arrecadação do município”.
Quanto aos acontecimentos envolvendo o presidente Temer e outros políticos, o prefeito de Salvador das Missões disse que a democracia se abala cada vez mais. “Está na hora de dar um basta. Nós temos que provocar toda a população para um movimento de eleições diretas; escolhermos um presidente legítimo, começarmos a recuperar a economia brasileira e a confiança no Brasil”, conclamou Gorski.
EPIDEMIA POLÍTICA
O prefeito de Sete de Setembro, Marcio Politowski (PT), contou que esta é a sua primeira Marcha a Brasília e que estranhou muito a mudança de postura da CNM que, na sua avaliação, toma algumas decisões sem consultar os gestores municipais, como foi o caso da Reforma da Previdência. Segundo ele, a maioria dos municípios é contra esta Reforma, mas a Confederação se posicionou a favor. “Esta atitude nos pegou de surpresa. Por isso tivemos uma reunião com prefeitos do nosso partido, de onde se tirou a resolução em protesto a esta postura, pois a maioria dos municípios se envolveram, fizeram atos em protesto pela reforma, e hoje estamos saindo desta Marcha como se fossemos a favor, o que não é verdade.”
Sobre a crise política que vivenciou em Brasília, Politowski disse que a melhor opção são as eleições diretas. “Por incrível que pareça será o terceiro presidente que vai assumir em tão pouco tempo. O Brasil está carente de políticos sérios. É uma verdadeira epidemia política que está acontecendo em Brasília. Apesar de sabermos que isso viria à tona, fomos surpreendidos com esta notícia”, reconheceu o prefeito.
NOVOS PROGRAMAS
O prefeito de Ubiretama, Ildo Leske (PDT), lembrou que a Marcha sempre foi necessária, especialmente para repassar informações esclarecedoras aos municípios, evolvendo todos os setores. Ele exemplificou os mais de 30 programas disponibilizados pelo governo federal. “É muito importante o governo ter vindo até aqui, mas falta entendimento na área da justiça e promotoria. Todos gostaríamos de aderir, mas quem garante a manutenção dos programas, pois eles mudam com as trocas de governos. Depois de instalado não tem como reduzir e o governo, muitas vezes, deixa de apoiar, ficando a responsabilidade só com o município”, indagou Leske.
MAIS INVESTIMENTOS
Amauri Pires (PP), prefeito de Caibaté, reiterou que grande número de participantes de todo o país demonstrou a união e a força do municipalismo. Ele evidenciou o fato de que os ministros que participaram do evento, além do próprio presidente Michel Temer, falaram sobre novos programas permitindo uma melhor perspectiva no planejamento das ações. “Parece que tem uma luz no fundo do túnel. Inclusive o pacto federativo parece estar bem encaminhado; a melhor repartição do bolo tributário, em que os municípios ficam com a menor fatia, representará mais investimentos em nossas cidades”, frisou.
NA HORA DO VOTO
Auri Kochhann (PMDB), que é prefeito de Pirapó, disse que foi bastante proveitosa a participação na Marcha, mas demonstrou algumas preocupações como a permanência dos recursos federais. “Somente com o dinheiro que temos do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) não está fácil fazer investimentos. “Temos que pressionar nossos deputados, pois em época de campanha política vão até nossos municípios pedir voto. Mas depois que estão em Brasília, as coisas mudam. Aliás, muito poucos deputados estiveram nesta Marcha dialogando conosco. Mas daqui a alguns dias, certmente estarão nos visitando e pedindo votos”, reclamou ele.
MOBILIZAÇÃO MUNICIPALISTA
O prefeito de Dezesseis de Novembro, Ademir Gonzato (PP), disse que a mobilização da Marcha mostra as dificuldades que os prefeitos estão enfrentando. “Os municípios precisam dos recursos a que tem direito. Todos falam e sabem que é nos municípios que as coisas acontecem. No entanto, para lá vão poucas verbas. Mas saio daqui otimista, pois conforme pronunciamentos das autoridades federais, a maioria se mostrou favorável aos pleitos municipalistas. É sempre imprescindível e um grande aprendizado participar da Marcha”, animou-se Gonzato.
POSTURA DA AMM
O prefeito de Garruchos, João Carlos Scotto (PP), disse que de todas as Marchas que já participou esta foi a melhor e mais significativa. “Pela primeira vez estão acontecendo algumas modificações, ao menos na forma de lidar com os assuntos das mudanças, das reformas em favor dos pequenos municípios. Nossas questões prioritárias estão sendo tratadas de forma diferente. Mesmo que a situação do país e das prefeituras não seja a mesma, minha avaliação da Marcha é muito positiva”.
Scotto fez questão de agradecer o amparo do presidente da Associação dos Municípios das Missões e prefeito de Entre-Ijuís, Brasil Antonio Sartori, “Me sinto muito bem representado pela AMM. A postura do presidente Brasil Antonio Sartori está sendo muito coerente com o que ele se propôs a fazer, desde que assumiu o comando da AMM.
MARCHANDO ATÉ O CONGRESSO
O prefeito de Porto Xavier, Vilmar Kaiser (PP), considerou relevante que neste ano o governo federal e comitivas, foram até a Marcha. “Diferente de outras edições do evento, em que tínhamos que ir marchando até o Congresso Nacional, desta vez as autoridades vieram até o local onde os prefeitos estavam reunidos, e em todas as falas ficou claro que querem ajudar os municípios. Para mim esta foi uma das Marchas mais positivas que já participei”, concluiu Kaiser.
BOAS PERSPECTIVAS
O prefeito de Eugênio de Castro, Jaime Zweigle (PP), disse que a CNM está fazendo um bom trabalho no apoio às prefeituras na parte de emendas parlamentares pra facilitar mais, pois atualmente a burocracia é grande e às vezes se acaba perdendo recursos por falta de amparo legal. A partir das promessas dos ministros, senadores e outros convidados, Orlando Thomas (PP), prefeito de Mato Queimado, espera mudanças positivas quanto a viabilização de recursos para os municípios, em novas áreas de atuação. “Sabemos que saúde e educação podem melhorar, mas estão bem. Precisamos de melhorias e mudanças também na área de infraestrutura, onde temos grande déficit”, afirmou ao enfatizar: “foi de suma importância participarmos da XX Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios”.
MULHERES MUNICIPALISTAS
Um dos momentos culminantes da Marcha foi a criação do Movimento Mulheres Municipalistas. Idealizado pela primeira-dama da CNM, Tânia Ziulkoski, e tendo como signatária uma das fundadoras da entidade, Dalva Cristofoletti. A cerimônia teve a participação de representantes de organismos internacionais e de mulheres líderes na política brasileira.
CARTA DA XX MARCHA
As conquistas da XX Marcha a Brasília em Defesa dos Municípios, que iniciou na segunda-feira (15/05), foram apresentadas na solenidade de encerramento, na quinta-feira (18/05), com a leitura da Carta da Marcha. Um dos destaques foi a Assinatura da medida provisória que possibilita o parcelamento da dívida previdência dos entes locais em 200 meses, com 80% de desconto nos juros e 25% na mora e na correção monetária. “Mais de R$ 30 bilhões, de uma dívida de R$ 76 bilhões, serão abatidos por meio desta medida”, ressaltou o presidente da CNM, Paulo Ziulkoski.
Comprometimento de parlamentares a favor da derrubada do veto ao Imposto sobre Serviços (ISS), medida esta que pode auxiliar na redistribuição de mais de R$ 6 bilhões aos municípios brasileiros, entre outros relevantes avanços resultantes desta edição do evento, estão relatados na Carta da XX Marcha.
 Site AMM

terça-feira, 23 de maio de 2017

AMM E REGIÃO DAS MISSÕES NA ASSEMBLÉIA DOS 30 POVOS JESUÍTICO-GUARANI.

AMM e região das Missões representadas na Assembleia dos 30 Povos Jesuítico-Guarani
23 de Maio de 2017
Entre as tratativas da participação da região, está a realização de um evento em São Miguel das Missões com a governança dos 30 Povos

Dando seguimento às ações integradas da Ruta Jesuítica Internacional, entre os dias 19 e 20 deste mês, em San Ignacio Guazú, Província de Misiones no Paraguai, uma comitiva missioneira, coordenada pelo diretor do Departamento de Turismo (Detur) da Funmissões e prefeito de São Nicolau, Ricardo Klein, participou da Assembleia dos 30 Povos Jesuítico-Guarani, que aconteceu na Universidad Católica Nuestra Señora de la Assuncion.

O evento tem o objetivo de discutir e aprofundar os conhecimentos das raízes históricas e culturais dos religiosos jesuítas e dos índios Guaranis.Os 30 Povos estão distribuídos em 7 do lado do Brasil, 15 da Argentina e 8 Povos do Paraguai.

Em sua 9ª edição, a assembleia teve como tema os 250 años de la Expulsion de la Compañia de Jesus de la Provincia de Paracuaria, e reuniu representantes do Brasil, Argentina e Paraguai. Da região das Missões/Rio Grande do Sul/Brasil, companharam o diretor do Detur, o secretário Executivo do Departamento de Turismo, Marcos Mattos, o secretário de Turismo de Santo Ângelo, Osvaldir Ribeiro, e os representantes do Caminho das Missões, Marta Benatti, José Roberto de Oliveira e Romaldo Melher.

Ruta Jesuítica Internacional
Conforme explanou o prefeito Ricardo Klein, que representou o presidente da Associação dos Municípios das Missões (AMM), Brasil Antonio Sartori, "foi de suma importância a participação da comitiva da região missioneira em razão da troca de experiências, informações relevantes e para colocar em prática as atividades conjuntas, que vêm sendo desenvolvidas para viabilizar a Ruta Jesuítica Internacional". Klein reiterou o valor da internacionalização do Caminho das Missões, que será lançado oficialmente em setembro deste ano, em San Ignácio Guazú, primeiro dos 30 Povos, e em Santo Ângelo, o último a ser criado.
O diretor do Detur acrescentou que foi tratado com os secretários de Integração e Turismo da Província de Itapúa, Marcos Leguizmen e Emílio Falcon, a realização de um evento em São Miguel das Missões, ainda em 2017, com a governança dos 30 Povos, para fortalecer a Ruta Jesuítica Internacional.

Civilização Jesuítico-Guarani
Segundo o ministro de Cultura do Paraguai, Fernando Griffith, um dos palestrantes, são mais de 400 anos de história desde a chegada da Companhia de Jesus da América Latina. "Mais do que nunca precisamos reafirmar os valores e ideais da civilização jesuítica-guarani, que jamais poderemos esquecer no tempo", enfatizou Griffith. Sacerdote de origem Guarani, o padre jesuíta, Lino Flores, salientou que existe uma grande dívida dos países latinos com os índios Guaranis; e que a “Mãe Natureza” está doente, pois já não provém para seus irmãos indígenas com a emsma intensidade que há três séculos.

Valor Histórico e Cultural
De acordo com o secretário Executivo do Detur, Marcos Mattos, "a comitiva missioneira também foi recebida pelo presidente da maior cooperativa agrícola do Paraguai, Colonias Unidas, Agustin Konrad, que garantiu total apoio à a internacionalização do Caminho das Missões, na área de atuação da cooperativa".
Mais de 100 historiadores e gestores participaram do evento, que ocorre anualmente. O intendente anfitrião de San Ignacio, Carlos Jorge Alfara, agradeceu a presença de todos os países presentes, e reafirmou a importância histórica e cultural da cultura Jesuítica/Guarani para o Paraguai. Os representantes da AMM/Funmissões também visitaram as Reduções de San Cosme Y Damian, Trinidad, San Ignácio Guazú, Santa Rosa de Lima e La Cruz.

MUITA CHUVA E FRIO NOS PRÓXIMOS DIAS.

A previsão do tempo para os próximos 10 dias
vai mexer com a cabeça de todos nós.
Chuva, calor de 30 graus e temperaturas
de 1 grau no domingo é para deixar qualquer um 
de pá virada. E mais chuva após o frio de domingo.
Como resistiremos a tantas alterações climáticas.

segunda-feira, 22 de maio de 2017

SUCESSO TOTAL NO SHOW DE ZEZÉ E LUCIANO.

Apesar do mau tempo um grande público esteve presente
na Expocel para assistir ao Show de Zezé di Camargo e Luciano.
Os amigos que lá estiveram contam que foi sensascional a
noitada e muita animação de todos os presentes.

quarta-feira, 17 de maio de 2017

ZEZÉ DE CAMARGO E LUCIANO EM CERRO LARGO.


Neste próximo sábado a dupla Zezé de Camargo e Luciano
é a atração principal da noite em que serão
escolhidas as Soberanas da 22ª.Oktoberfest Missões.
O Evento ocorrerá no Parque Municipal de Exposições 
de Cerro Largo  com horário de abertura  20 horas e 
 o Show da dupla esta marcada para ocorrer às 24 horas.

domingo, 14 de maio de 2017

ALUNOS DO LA SALLE MEDIANEIRA VISITAM SEDE DA AMM

ALUNOS DO COLÉGIO LA SALLE MEDIANEIRA VISITARAM A SEDE DA AMM


A sede da Associação dos Municípios das Missões (AMM) sediou um evento peculiar na tarde da última quarta-feira (10): uma aula interativa com os alunos do 4º ano do colégio La Salle Medianeira, de Cerro Largo. Acompanhados da professora Bruna Eckerlebem e da secretária da AMM, Vanessa Malescha, eles visitaram todas as dependências da associação e fizeram perguntas sobre as atividades desenvolvidas pela entidade. Importante ressaltar, que todos sabiam sobre o número de prefeitos missioneiros e algumas das demandas defendidas pela associação.

O que chamou mais a atenção dos pequenos foi o auditório da AMM, que já viram em fotos e tinham curiosidade em conhecer, pois sabiam que no local são realizadas reuniões dos gestores municipais e outros eventos. Hoje nós somos os prefeitos e prefeitas, diziam com empolgação. Questionados sobre o trabalho da AMM, estavam com a resposta na ponta da língua: aqui são feitas reuniões para melhorar a qualidade de vida da população das Missões, responderam.

Os alunos foram informados de que o nome do auditório é uma homenagem a um dos fundadores da associação, Laureano Alberto Schoffen. Também gostaram da galeria de fotos dos presidentes e, claro, foram logo identificando os prefeitos de Cerro Largo.

Conforme explicou a professora Bruna, em sala de aula foi falado sobre a atuação da Associação dos Municípios das Missões em favor das comunidades dos 26 municípios missioneiros. "A iniciativa em querer conhecer a AMM foi dos alunos, que fizeram questão de vir pessoalmente quando souberam que a sede fica em nossa cidade", contou a professora.

Na saída, ficou combinado que as foto serão guardadas para a posteridade, já que, não se sabe se deste encantador grupo de estudantes, não estão futuros prefeitos e prefeitas da AMM.

Site AMM

AMM COMPLETA 50 ANOS DIA 28 DE MAIO.

MEIO SÉCULO DE CRIAÇÃO DA AMM SERÁ MARCADO POR HOMENAGENS ESPECIAIS 23 de Maio de 2017 José Otto Theobald, 1º presidente da AMM ...